Studio Fm

0.50
EmailFacebookTwitter

Amúlio Loureiro: Os desafios da agricultura em Canavieiras

Postado em

Por Hevelem Matos


Entrevistamos o Engenheiro Agrônomo Amúlio Loureiro para falarmos sobre os desafios da agricultura em Canavieiras, ele possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB/1995), Especializado em Agroecologia Aplicada à Agricultura Familiar-Residência Agrária (UESC/2015), ex-presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Camacã e produtor rural. Foi professor da Educação Profissional no curso de Técnico em Zootecnia, Instrutor do Senar com experiência na área de Agronomia, com atuação principalmente nas seguintes áreas: cacauicultura, cafeicultura, cultura do coco, associativismo, cooperativismo, produção de mudas clonadas de café conilon e cacau, assistência técnica e extensão rural, produção de adubo orgânico, minhococultura e gerenciamento de programas de políticas públicas voltados para a agricultura familiar.

Leia!




 

Qual é a função de um engenheiro agrônomo ?

Bem, o engenheiro agrônomo é o profissional das ciências agrárias e está muito vinculado a criação, a produção agrícola desde a escolha de uma área até passando por todos os seus traços culturais, adubação, poda, controle de praga e outras doenças até a sua produção e posterior comercialização, então é o profissional  que está diretamente ligado ao homem do campo para levar a técnica de forma eficiente e eficaz para que ele possa produzir cada vez mais alimentos com qualidade superior, então é aquele profissional que põe o alimento na mesa dos brasileiros e de toda a população.

Qual é a real situação da agricultura em Canavieiras?

Veja só Hevelem, eu enxergo da seguinte forma: Canavieiras está inserida no território Litoral Sul, na região cacaueira e a grande mola propulsora dessa região foi o cacau e se bem olhar ainda continuas sendo mas, com o advento da vassoura de bruxa, Canavieiras sentiu muito com essa enfermidade, então aí surge a necessidade de diversificar, então Canavieiras diversifica com a pecuária de corte e de leite, Canavieiras hoje tem um rebanho bovino considerável né mas.. se por exemplo, você pegar um município como Camacan... Camacan era o maciço cacau, até o leite vinha de fora [de Pau Brasil] já Canavieiras não, ela é bastante diversificada, ela tem regiões distintas.

 

Se planta muita coisa aqui né...

 

Se planta muita coisa, nós temos na área das palmáceas, você tem piaçava, coqueiros, você tem pupunha, aí você tem pimenta do reino, o próprio cacau; tem a aqüicultura e a piscicultura que é a criação de peixes além da pesca. Canavieiras é bastante diversificada, agora precisa- se de apoio ao homem do campo, apoio das mais diversas áreas, assistência técnica de extensão rural, o crédito... Esse tipo de política pública precisa chegar ao homem do campo.

 

Comparando aos municípios vizinhos como Una, Camacan, Santa Luzia e outros da região, como você define esse setor agrícola de Canavieiras?

Se você der uma olhada na história você vai perceber que Canavieiras sempre saiu de suas crises por potencial natural, então uma das coisas que distingue muito Canavieiras dos municípios que ora você cita, é porquê canavieiras se você olhar o nível pluviométrico de chuvas que cai nos outros municípios cai aqui também, entretanto Canavieiras tem um potencial de mecanização, você tem áreas aptas a mecanização e pra mim é o grande diferencial além do que é um município com muitas estruturas, você tem estradas, tem energia elétrica, telefonia celular... Eu não conheço uma cidade tão formosa, tão bonita, com um povo tão hospitaleiro, então quando se pensa em praticar uma agricultura em canavieiras, você também tem que botar na conta a cidade bonita que a sede do município proporciona pra gente.

 

Você falou sobre estradas e eu vou abrir um parêntese aqui porquê algumas pessoas dizem que a Transouricana é mais importante que a BA 001. Você concorda com essa afirmação?

Ah, sem duvida. Se a gente der uma olhada, o grosso mesmo, me desculpe a expressão mas o forte da agricultura vem daqui dessa região da Transouricana, de pimenteiras, era nova, toda essa Transouricana... Então ela é sem duvidas, o grande celeiro de Canavieiras e então deveria ter uma visão melhor, uma dedicação melhor, a essas estradas porquê se tem uma estrada que é elementar e se o poder público vai fazer algo pelo homem do campo, faça a estrada, tenha as estradas em boas condições, porquê sem a estrada você não leva nenhuma tecnologia para incentivar a produção.

São muitos que a agricultura em Canavieiras enfrenta, mas qual você considera como maior desafio que tem que ser superado para que a agricultura possa se fortalecer?

O produtor... ele já tem sua terra, nós estamos passando por um problema de estiagem mais papai do céu vem dando as condições pra gente e com certeza vai voltar a normalidade de chuvas, nós já estamos no Outono e eu acho que o que falta ao homem do campo para poder alavancar é incentivo, falta política publica. Eu sou um apaixonado por agricultura, agropecuária como um todo e u não quero desmerecer governo nenhum mas eu acho que o governo federal e o estadual está muito distante do homem do campo, então nós já tivemos aqui em Canavieiras uma EBDA que você fazia extensão rural, projetos, você conseguia crédito para o homem do campo, então eu acho o governo ausente do homem do campo mas também o município poderia criar políticas públicas para a gente fazer o nosso dever de casa. Temos bons profissionais, temos bons produtores, temos condição de produzir muito então sem dúvidas seria políticas públicas mesmo pequenas para apoiar o homem do campo. Você tem o PNAE, tem os PAAs porém na base você não tem essa estrutura , você não tem essa equipe para pode aportar esses programas de governo.

O que você pensa sobre a desvalorização dos produtos do homem do campo por algumas pessoas e até setores?

É isso que eu citei, políticas publicas, o município deve puxar pra ele essa responsabilidade de ter um preço justo para a agricultura. Porque você tem produtos que são commodities, como o cacau que você tem mercado garantido, da porteira pra fora o produtor não consegue manipular o preço e um commoditie, agora da porteira pra dentro, o homem tem que ter assistência para ele ser bom naquilo que faz em sua atividade que assim, você consegue avançar essa barreira com produtividade. Por exemplo, um *PAA eu até brinco, disso assim, o PAA é maravilhoso porquê ele pega uma alface e transforma como se fosse uma commoditie, dá para aquele produto um mercado garantido, agora volto a falar, falta ter isso aqui implantado no município, falta vontade política, planejamento e gerir o negócio

Você falou em um período de estiagem, sobre esse período que nós passamos sem chuva na terra. Como esse período afetou as nossas terras e a região?

Nós todos sabemos que estamos vivendo uma fase que meteorologia cita como El Niño que é “O menino” em espanhol, esse ano está ainda em curso e éum período de El nino. O que seria o El nino, chuva no sul e Sudeste e seca para o Nordeste, então como que isso impacta, isso impacta diretamente na produção; você tem menos pastos, você tem menos leite, tem menos carnes e na parte agrícola você tem mortandade de plantas, flores que não vingam, os frutos ficam depreciados, então você perde valor, perde a qualidade do produto e isso tudo impacta, porquê sem água no campo, a melhor forma que você tem de aquecer o município, é investir no campo, porque se o homem do campo tem assistência técnica, se ele tem crédito e consegue investir na propriedade dele, se você “botou” o dinheiro, amanhã ele está aqui na cidade comprando um adubo, um pulverizador, ele está aquecendo o comércio. Se o comercio aqueceu, ele vai pedir da indústria, tanto o segmento primario, secundário, terciário aquece.

Nós assistimos aquela paralisação dos caminhoneiros e a gente viu no que deu e, se os produtores se articulassem numa vertente dessa e cruzar uma semana os braços, vamos ver o quanto faz falta o alimento na mesa. Nós e que produzimos o alimento para sustentar a cidade e muitas vezes as pessoas enxergam o produtor com um olhar meio deturpado “ aquele é da roça” e ele vive lá lutando para se manter, sem uma internet, sem tecnologia para poder alimentar a cidade

Quais são as alternativas que o produtor ele pode ter para diminuir os prejuízos em sua propriedade nesse período onde chove pouco e tem essa necessidade de continuar plantando?

As formas que se tem emergenciais assim você tem de curto período de tempo e longo período de tempo. Emergenciais seriam aquelas que precisam de muito cuidado, que você está com essa situação ai, sem chuvas e ai você vai fazer uso de irrigação, então o que vai acontecer se não tiver um técnico, um agrônomo orientando, vamos supor: acabou a chuva, então ele vai lá e rega a produção dele com um córrego, com um rio então vai acabar com o córrego e com o rio. Então a médio e longo prazo, você saber e ter um planejamento para a época que essas estiagens chegam, qual é o ano de El Nino, você  ter um manejo melhor de seu solo, não deixar seu solo descoberto, deixar as plantas bem nutridas, quando chegar o inicio do verão elas estarem bem nutridas ela passa melhor a escassez, e se você  fizer um planejamento mais a longo prazo, eu vou citar por exemplo o sistema agroflorestais, que seria o que, você ter na sua área não só uma monocultura, que ai em um desenho muito bem feito por um profissional da área de agronomia para monitorar os acontecimentos coma planta.

Você enquanto produtor, essa escassez de chuvas afetou o seu negócio ?

Olha, ela afetou mas assim, em relação ao que aconteceu com o clima, com a falta de chuva e a temperatura, eu posso dizer que praticamente não tive problema. Porquê eu sabia que se tratava de um ano de El Niño, tenho em canavieiras uma lavoura nova de café numa área que eu adquiri. As pessoas tem a mania de não arar o solo, arar é a pratica de dar ar ao solo, ai você pega o tempo fechado e vai querer arejar, eu não entrei nessa. Uma das coisas que me salvou , praticamente eu não senti esse impacto, apesar de ser plantas novas, não são carregos ainda mas eu procurei usar um subsolador, o que a gente chama de Ripper, eu entrei “pocando” vamos dizer assim, 1 metro de profundidade e 30cm de largura e coloquei muita fonte de fósforo, p2o5 então você tem aquele terreno todo solto com muito fósforo e uma lavoura de café que tem um sistema radicular, ele cresceu rapidamente nas camadas mais profundas do solo ela tem água, outra coisa é o manejo do mato, não deixar o solo todo exposto porquê ai a evaporação, a transpiração da planta o que a gente chama de vapo- transpiraçao ela é muito grande, então eu procurei manejar, não deixar o solo descoberto. Em cada pé de café que eu plantei, eu coloquei o mush, uma cobertura morta que você aumenta a atividade microbiana, você diminiu o nascimento de plantas espotâneas que é o mato e além de amenizar a temperatura. Usando esse tipo de recurso, de técnica, a verdadeira técnica pra mim é aquela que você contornar o problema com recurso financeiro possivel.

 

Você falou em produção de café, percebo que municipios como Una e outros municipios aqui da região também estão plantando café. Canavieiras também tem esse potencial para produzir café ou isso ainda está “engatinhando”?

Eu acredito que essa região aqui vai sr uma grade fronteira da cafeicultura, como eu disse no inicio da nossa conversa, somos regiões que chove, eu falo regiões porque canavieiras tem várias regiões, microregiões, aqui tem Puxim, Oiticica e a Transouricana tem várias outras regiões. Então, além de chover você pode mecanizar, então você vai conseguir produzir o café a um custo baixo assim vc se torna competitivo, eu acredito que a cafeicultura, que eu lide em camacan durante 22 anos, inciamos la´com uma agricultura de montanha mas para tentar sobreviver vai chegando pro litoral, você vai estar com áreas mais planas, e ai as pessoas que entendem do negocio pode at´esta perguntando mas e o solo Amúlio, como é que é?

Os solos aqui com raras exceções sao de baia-media fertilidade, a região cacaueira não é caracterizada por se de média ou alta fertilidade, as regiões de canavieiras que permite ser mecanizadas elas são latosolos, tecnicamente falando são solos de media fertiidade mas que respode muito a calagem e a adubaçao e canavieiras sim, vai se consolidar a cafeicultura, pea força do homem e capricho do homem do campo. Pode ter certeza, aonde tem café, o homem tem sapato no pé.

 

 

*Commodities são produtos que funcionam como matéria-prima, produzidos em escala e que podem ser estocados sem perda de qualidade, como petróleo, suco de laranja congelado, boi gordo, café, soja e ouro. Commodity vem do inglês e originalmente tem significado de mercadoria.

*PAA- Programa de Aquisição de Alimentos

*PNAE- Programa Nacional de Alimentação Escolar

Acessos

Total: 428.246
Por cidade
Salvador: 106.255
Porto Seguro: 26.028
Sao Paulo: 17.763
Belo Horizonte: 15.973
Rio de Janeiro: 15.101
Itabuna: 14.973
Ilheus: 5.154
Eunapolis: 4.915
Recife: 4.421

Contatos

E-mail
studiofm104@gmail.com
WhatsApp
(73) 9840-1919
Instagram
@studiofmcanavieiras
Facebook
studiofmcanavieiras
Telefone
(73) 3284-1919